Marcos Palmeira

Marcos Palmeira

Clique aqui para conferir as principais publicações do ator

Marcos Palmeira começou a carreira aos 5 anos, quando fez uma participação no filme “Copacabana Me Aterra” (1968), um média metragem. Filho do diretor Zelito Viana e da produtora Vera de Paula, Marcos se formou na CAL (Centro de Artes de Laranjeiras) em 1983.

Seu primeiro papel na TV foi na primeira fase da novela “Mandala” (1987), da Rede Globo, onde fez parte também do elenco do sucesso “Vale Tudo”. Transferiu-se para a Rede Manchete em 1990, onde protagonizou “Pantanal” (1990) e “Amazônia” (1991).

No ano seguinte retornou a Rede Globo e participou de grandes sucessos, como “Renascer” (1993), “Irmãos Coragem” (1995), “Torre de Babel” (1998), “Porto dos Milagres” (2001), “Esperança” (2002), “Celebridade” (2003) e o remake de “Saramandaia” (2013). Além disso, garantiu papel de destaque na série “O Rebu”. Em 2005, o ator protagonizou a série “Mandrake”, do canal HBO, pela qual foi indicado ao Emmy Internacional de melhor ator.

No cinema, acumula mais de 30 filmes. Entre eles “Villa-Lobos – Uma vida de Paixão” (2000), no qual interpretou o compositor ainda jovem, “Dom” (2003), uma adaptação do livro Dom Casmurro, no qual deu vida ao personagem Bentinho, “O Homem que desafiou o diabo” (2007), “Quase um tango” (2009), “Bela noite para voar” (2009), “E aí… Comeu?” (2012) e “Os homens são de Marte… E é pra lá que eu vou” (2014).

Ganhou o prêmio de melhor ator coadjuvante por “Dedé Mamata” (1988), melhor ator por “Barrela: Escola de Crimes” (1990), ambos no Festival de Filmes de Gramado.  No Festival de Cinema de Brasília foi o premiado como melhor ator pelo filme “Anahy de las misiones” (1997).

Marcos divide seu tempo como ator com o trabalho de empreendedor. Ele tem uma fazenda em Teresópolis, “Vale das Palmeiras”, onde cultiva alimentos orgânicos. Além disso, presta assistência como consultor em diversos projetos de alimentação orgânica espalhados pelo Brasil.

Seu último trabalho em novelas foi na trama das nove “Velho Chico” (2016), interpretando o capataz Cícero. Em 2017, foi ao ar como o surfista Toni na supersérie “Os dias eram assim”, atuando como par romântico de Letícia Spiller. Em breve estreará no canal CineBrasil TV a série “Manual de Sobrevivência ao Século 21”, abordando temas ligados à sustentabilidade.