Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical

Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical

A Mattoni Comunicação fez todo o trabalho de lançamento e divulgação do musical, organizando coletiva de imprensa, acompanhando pautas e gerindo a presença do espetáculo na mídia nas duas temporadas em que esteve em cartaz, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Período de atendimento: fevereiro a agosto de 2016.

O Musical

A tríade “O poeta, a canção e o tempo” conduz um musical que abraça uma carreira de sucesso. Sem pretensões biográficas, uma grande homenagem aos 50 anos de carreira de um dos maiores ícones da música brasileira é feita através de sua própria obra, ora falada, ora cantada por oito atores músicos multi-instrumentistas. “Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical” lança um olhar contemporâneo às canções do artista, que refletem sobre seu tempo, a história da música nacional e do próprio país.

Na dramaturgia e direção geral, o premiado Gustavo Gasparani – que estudou todas as letras, ouviu todos os discos e leu todos os livros publicados sobre Gilberto Gil antes de finalmente conceber esta homenagem – cuidou de trazer para o espetáculo o lugar de risco e ousadia presente na carreira do compositor, sem deixar de lado a delicadeza que sempre o acompanhou. O resultado é uma montanha russa de emoções que podem ser sentidas pelo público durante toda a apresentação, em um musical único e imperdível.

 

“Eu soube que a música era minha linguagem, mesmo. Que a música ia me levar a conhecer o mundo, ia me levar a outras terras. Por que eu achava que tinha a música da terra e a música do céu.” (Gilberto Gil)

 

Ao longo do espetáculo, as letras tantos anos cantadas por Gil mostram, além de poesia, seu lado teatral. São elas que dão o tom dramatúrgico de 11 blocos temáticos que passeiam pela sua origem musical, o movimento tropicalista, a negritude, amor, religiosidade, tecnologia, futurismo, entre outros assuntos que marcam as composições deste ícone da MPB. Em todos eles, “vida e morte” estão inseridas como dupla central e indispensável, tal qual Gil fez em toda sua trajetória.

As canções em sua forma original, com todos os arranjos, tons e semitons, também não ficam de fora. Ao todo, 55 músicas são cantadas total ou parcialmente pelos atores/músicos, que tocam 39 diferentes tipos de instrumentos em cena. Projeções em vídeo trazem o lado multimídia para o palco, ajudando a ambientar os momentos retratados.

Para deixar o espetáculo ainda mais sensorial, os atores narram em cena depoimentos pessoais sobre a influência da obra do compositor em sua carreira e vida pessoal. Esses trechos são os únicos que não pertencem às letras de músicas de Gil e, entrelaçados ao texto do musical, misturam ficção e realidade e mostram como as produções do artista dialogam com a vida de tantas pessoas.